Xeg

Xeg - Vaca de Merda

rate me

Agarradas só aqueles que lhes podem dar alguma cena

Fingimento e falsidade fazem-no sem problema

Para todas essas putas cheias de truques e esquemas

É p'ra vocês suas vacas que eu dedico este tema

Respeito todas as damas que merecem respeito

Mas não aquelas putas que se vestem a preceito

Rabo espetado, decote a mostrar os peitos

Só que a vossa beleza não esconde os vossos defeitos

Não é o vosso wonderbra nem calças justas ao cu

‘Tou-te a tratar por você, mas vou tratar por tu.

Sim, tu, sua puta de merda

Esse teu ar superior não esconde a escáfia que levas

Quem não te conhece faz de ti uma dama se bem

Mas mal tiras as calças vê-se logo a rotação que isso tem

Nádegas descaídas, boa abertura de pernas

Já deu pra ver que muito urso entrou nessa caverna

Gestos, meninos a podridão é eterna

Quando falas, anh, teu hálito cheira a esperma

Rodaste lá na escola depois rodaste a minha rua

Quando eu fui à tua zona, já eras famosa na rua

Rodas de rua em rua,

Quando tas conhecida mudas pra outra

Com direito a três sabores, na cona, no cu e na boca

A foda põe-te louca, louca como uma vaca

Nem largas o vicio da cona, pois só queres sacar paca

Oferece-me isto, oferece-me aquilo

Põe-te a mão no caralho e aperta os mamilos

Pois fazes-te de inocente, cheia de truques e toda pudica

É melhor cantares outra canção, que eu já conheço essa música

Refrão

Puta do caralho, sua vaca de merda

Lava-me essa boca, fecha-me essas pernas

Não, tu daqui não levas nada

Tas muito batida e eu não curto carne mastigada

Puta do caralho sua vaca de merda

Lava-me essa boca, fecha-me essas pernas

Não, tu daqui não levas nada

Tas muito batida e eu não curto carne mastigada

Quando te vejo a passar com alguém ao lado

Penso cá pra mim “olha mais um coitado

Caiu na armadilha, mordeu o anzol como muita gente”

Tu és linda como o sol, que ate custa olhar de frente

Tu és a plástica de roupas, bases e cremes

Não acredito quando falas, não acredito quando gemes

Não acredito no teu choro, não acredito no teu sorriso

Podias mudar de atitude, pensar ganhar juízo

Em vez de zona em zona, rodar de pau em pau

Dar o cu, dar a cona, pedir lucro e dizer xau

Devias evoluir como pessoa, subir o próximo degrau

E raspares dessa cona esse cheiro a bacalhau

Puta perdeste a luta, queres pedir desforra

Uma vez tive contigo deixei de ser…

Fui mais uma vítima que conseguiste apanhar

Na cona duas camisas, no cu tem que ser com câmara-de-ar

A tua única virtude é que fodes com preservativo

No meio de tanta merda, que haja algo positivo

Gostas de andar de cu tremido, puxado a gasolina

Caralho é o combustível da tua vagina

Ser puta está-te no sangue, não podes mudar a sina

Pois logo aos onze anos deixaste de ser menina

Dez anos passaram a armares-te em boa de puta estéril

Com essa cona contaminada, cheia de vírus e bactérias

Refrão

Sentada no café, passas a tua vida

À noite colas-te a alguém pra ires dar uma saída

Sempre colada a quem tem charros pa apanhares umas mocas

Ou então fazer noitadas, levar na cona e dar na coca

Só olhas para ti e quem quer gastar contigo

Só pensas em ti, só olhas para o teu umbigo

Talvez um dia o tiro te saia pela colatra

Pois é muita ambição misturada com comichão na rata

Refrão

Get this song at:  amazon.com  sheetmusicplus.com

Share your thoughts

0 Comments found